Desenho, desenhinho, desenhão

Como este é um blog novo, acredito que os primeiros posts serão muito mais uma apresentação de quem eu sou. Uma coisa que gosto muito de fazer é desenhar. Comecei quando criança, fiz aula de pintura em tela, na faculdade fiz um cursinho rápido de desenho… mas nada que realmente me fizesse sentir muito prazer no desenho. Uns dois anos atrás eu voltei a desenhar, agora com um estilo muito mais formado e sabendo exatamente o que buscava como resultado nos meus traços. Gosto de mandalas, flores e folhas, me interesso por formas fluidas e pelo pontilhismo. Não busco mais a perfeição ou a simetria, muito menos quero imitar a realidade, e agora sinto prazer em desenhar. Após praticar muito no papel, estou aos poucos buscando novos suportes para o desenho. Recentemente resolvi desenhar na parede do meu quarto, estava muito branquinha… sem graça! Fiz uma flores, mandalas, tudo misturado e gostei de como ficou.

O que quero dizer nesse post é que nem sempre o que gostamos de fazer irá se apresentar na primeira tentativa, é preciso explorar e se encontrar. Além disso, ter um válvula de escape, algo que faça aliviar o estresse do dia a dia e que nos traga satisfação é muito importante para manter o equilíbrio mental, o desenho me oferece isso. Trata-se de um desafio para sempre melhorar e um relaxamento da mente ao deixar a criatividade fluir. Em breve faço alguns posts com dicas para desenhar mandalas, quais canetas gosto  etc. Continue acompanhando o blog.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *